gazetaonline - portal de notícias

Jovem morre e outros dois ficam feridos em grave acidente em Vila Velha
17/05/13 - 08h31 - Ana Paula Mill e Samanta Nogueira

Foto: Ricardo Medeiros
 Ricardo  Medeiros
O Ecosport ficou bastante destruído após a queda do viaduto
“Tenho convicção de que o meu filho não estava dirigindo sob efeito de álcool”. Foi o que o pai de Maycol Borges afirmou, enquanto esperava informações sobre o estado de saúde do jovem, na tarde deste sábado (18). O carro dirigido por Maycol caiu do viaduto entre as rodovias Darly Santos e Carlos Lindenberg, no início da manhã, matando Ramon Ferreira, de 24 anos, que estava no banco de trás, sem cinto de segurança. Maycol e uma amiga, Andressa Alcântara, se feriram e permanecem hospitalizados.

O pai de Maycol afirmou que o filho costuma dirigir o carro quando sai com os amigos. Maycol, que é filho de uma policial civil que atua na Delegacia de Defraudações (Defa), mora com os avós e os pais não sabem onde ele foi na noite de ontem. “Ele deve ter ido a uma festa”, disse o pai.

O acidente

Data: 18/05/2013 - Acidente de trânsito onde morreu um rapaz e outros dois jovens ficaram feridos em Vila Velha, no trevo da Darly Santos - crédito: Samanta Nogueira - Editoria: CBN/GOL
O veículo despencou de uma altura de sete metros quando atravessava o viaduto, na manhã deste sábado (18). 

O EcoSport prata com placa de Vila Velha era conduzido por Maycol Freire Borges, de 22 anos. No banco do carona estava a amiga dele, a promoter Andressa Alcântara, 18. Eles foram socorridos por ambulâncias do Samu. Maycol foi levado para o Hospital Antônio Bezerra de Faria, em Vila Velha e seu quadro é estável, segundo informações da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa). Andressa foi conduzida ao Hospital São Lucas, em Vitória. 

Segundo testemunhas, o carro subiu pelo viaduto, indicando que iria fazer o retorno para pegar a pista sentido Vila Velha. O motorista estaria correndo bastante. “Ele subiu o viaduto, indicando que faria o retorno para voltar a Vila Velha. Mas não conseguiu fazer a curva. Ele bateu, arrancou a placa e caiu. Estava em alta velocidade, correndo bastante. Eu tinha total visão do que aconteceu, porque estava do outro lado da pista”, contou o repositor Valter Gomes Ferreira, 32 anos. Para policiais do Batalhão de Trânsito, que atenderam à ocorrência, tudo indica que os jovens vinham de alguma festa.

“Esse rapaz que morreu está com a caneca de bebida pendurada no pescoço. Não encontramos nenhuma garrafa de bebida no carro, mas há indícios de que eles tenham vindo de algum lugar onde há consumo de bebida alcoólica. Além disso, o rapaz que morreu estava atrás do motorista, sem o cindo de segurança. Normalmente, as pessoas que sentam no banco de trás não colocam o cinto. Mas é preciso entender que o cinto de segurança salva vidas”, frisou a policial militar.

O carro em que os três jovens estavam pertence a uma tia de Maycol. Ela, que emprestou o automóvel ao sobrinho, disse que ele não costuma beber. A mulher não soube informar de onde os jovens estavam voltando. Maycol prestará depoimento à polícia quando receber alta do hospital.

"Era um rapaz trabalhador", diz família de rapaz morto 


Foto: Ricardo Medeiros
Ricardo Medeiros
Ramon estava com uma caneca pendurada no pescoço. Para a polícia, jovens deveriam estar voltando de uma festa
Abalados e chorando muito, parentes de Ramon Ferreira afirmaram que o jovem era um rapaz trabalhador, saudável e inteligente. A mãe dele foi ao Departamento Médico Legal (DML) para liberar o corpo dele. Segundo informações de familiares, Ramon seria o segundo filho dela a morrer de forma violenta. O primeiro jovem teria sido morto, há 12 anos, por envolvimento com drogas.
Creuza acredita que os jovens foram a uma festa. Ela disse que Ramon pode ter bebido, mas que não sabe se Maycol também bebeu. “Se for comprovado que ele bebeu e dirigiu, o que aconteceu vai servir de lição para que não faça isso de novo”, disse. 

Na noite de sexta-feira (17), o jovem deixou a moto em casa para sair com os amigos de carro. Filho único, ele morava com a mãe na Glória, em Vila Velha. “A gente temia que ele sofresse algum acidente de moto. Ele saiu de carro e morreu. É um baque muito grande para a família. Ele era muito querido por todos e vai fazer muita falta para nós”, afirmou a tia do jovem.

Ramon fazia curso técnico de Mecânica e trabalhava como consultor de vendas. Após a conclusão do curso – prevista para dezembro deste ano –, ele pretendia trabalhar na manutenção de geradores de energia. “Ele era um menino muito responsável e trabalhador. Um rapaz abençoado e uma pessoa maravilhosa”, disse.

O jovem estava sem cinto de segurança no banco de trás do Ecosport prata, que capotou no viaduto. Ele estava com uma caneca de bebida pendurada no pescoço. O velório de Ramon será na Igreja Batista Monte Sinai, em Jaburuna, também em Vila Velha.

Vítima teve afundamento de crânio

Peritos criminais disseram que Ramon teve afundamento do tórax e de crânio. Foi preciso a ajuda do Corpo de Bombeiros para retirar as vítimas das ferragens. O carro em que os três jovens estavam pertence a uma tia de Maycol. Ela disse que o sobrinho não costuma beber e emprestou o carro. Porém, não soube informar de onde os jovens estavam voltando.

voltar ao menu anterior

Copyright 2014, Todos os direitos reservados ao gazetaonline
Desenvolvido por Fivecom

AAA - Acessibilidade Brasil - Aprovado