gazetaonline - portal de notícias

Identificado motorista que atropelou e matou motociclista em Vitória


O motorista que atropelou e matou o motociclista Erick Barbosa Caetano, na última segunda-feira (15), na Avenida Fernando Ferrari, em Vitória, foi identificado pela equipe da Delegacia de Delitos de Trânsito, sob responsabilidade do delegado Alberto Roque.

Ageu Rocha Ribeiro, de 28 anos, é pedreiro, e reside no município de Pinheiros. Ele prestou depoimento na cidade e foi indiciado nos artigos 302 - parágrafo III (homicídio culposo com causa de aumento por não prestar socorro e por fugir do local) e 305 (por fugir do local do acidente). Os dois artigos são do código de trânsito e somado os dois crimes a pena pode chegar a 7 anos.

O acidente

Um homem morreu e outro ficou ferido após a moto em que os dois estavam ser fechada por um carro, na Avenida Fernando Ferrari, em Goiabeiras, Vitória, na madrugada desta segunda-feira (15). O motorista que provocou o acidente fugiu deixando para trás o para-choque dianteiro com a placa do veículo.

De acordo com a Polícia Militar, eram por volta das 2 horas quando a moto passava pela Avenida Fernando Ferrari com os dois ocupantes. Testemunhas contaram que um Gol branco, de modelo antigo, fez uma manobra para entrar em uma rua à esquerda. Assim que fez a manobra, o carro fechou a passagem da moto e os dois veículos bateram.

As vítimas caíram no chão. Uma delas, o chapeiro Erick Barbosa Caetano, de 21 anos, morreu na hora e a outra ficou ferida e foi encaminhada para o Hospital São Lucas.

Já o motorista do carro fugiu sem prestar socorro. Com o impacto da colisão, o para-choque dianteiro do Gol caiu no chão com a placa. As vítimas estavam sem documentos. Familiares de Erick só reconheceram o corpo do rapaz na noite de ontem. O homem que estava com ele permanece sem identificação. Ele é moreno, tem cerca de 1m75, cabelo curto e usava camisa branca e bermuda amarela.

Família

Familiares de Erick chegaram da cidade mineira de Teófilo Otoni, na noite de segunda-feira (15), para reconhecer o corpo do rapaz. Abalada, a mãe do jovem contou que o filho veio ao Estado trabalhar e que morava sozinho, em Bairro de Fátima, na Serra.

A família de Erick ficou sabendo do acidente através de uma amiga, que foi a última pessoa a ter contato com o chapeiro ainda vivo.

A mãe do jovem, a salgadeira Andréia Caetano, 39 , disse que só ficou sabendo da morte quando chegou no Espírito Santo. Até então, só foi informada de que ele tinha sofrido um acidente.

?Meu filho dirigia há dois anos, tinha a própria moto e era muito responsável. Não sei direito o que aconteceu, mas vou acompanhar o trabalho da polícia e exigir justiça?, garantiu Andréia.

Outro lado

Por telefone, o advogado do pedreiro, Lucas Gagno, disse que o cliente está abalado com o acidente e alega que Argeu fugiu do local porque ficou com medo.

?Ele é do interior, estava de madrugada e ele ficou com medo que ser agredido. Ele não é bandido. Além disso, não foi um atropelamento. A vítima bateu na lateral do para-choque do carro depois de passar direto pelo sinal. Isso foi comprovado pela perícia?, disse.

O advogado disse ainda que Argeu vai colaborar com as investigações e que veio a Vitória trazer a filha de uma amiga.

voltar a página anterior

Copyright 2017, Todos os direitos reservados ao gazetaonline
Desenvolvido por Gazeta Digital

AAA - Acessibilidade Brasil - Aprovado